Tom Hopkins

A cena eletrônica brasileira nunca esteve tão em evidência como nos dias de hoje. E tudo isso, começou a se desenhar há 4 anos atrás com a ascensão de Marky na cena paulista e, mais precisamente, no ano passado, no mundo com sua residência fixada no Club La Rumba em Londres. Pois é, o Brasil, que antes era ignorado no mapa, agora passa a ser rota obrigatória para todos os Top DJs do mundo. E se antes, o mais difícil era exportar, quem imaginaria que pudéssemos importar?

Por incrível que pareça, Makston Motobe, mais conhecido como Tom Hopkins, começou esta trajetória na contra-mão, ou seja, fez sucesso primeiro no Japão para depois retornar ao Brasil.
Na verdade, DJ Tom Hopkins é paulista e começou sua vida noturna ainda em 1986 sob a batuta do renomado DJ Décio (Foca) – residente, então, na já extinta “Contra-Mão”. Naquela época, bandas como New Order e Depeche Mode começavam a flertar com a cena eletrônica, construindo um novo formato na qual Tom e alguns poucos DJs paulistas e cariocas viriam ser os percusores.

Era o início da cultura DJ. Um novo modo de se comportar e interagir com o público e pista, bem diferentes das quais as pessoas estavam acostumadas naqueles tempos.

Da “Millenium”, passando pela “Hipodromo”, “Sound Factory” e “Zoom”, foram 8 anos de experiência adquirida, além de performances memoráveis ao lado de DJs como Mark, Edu, Rebert, Serginho e Celsinho, em festas que contagiaram milhares de pessoas com suas mixagens precisas e sua seleção de primeira.

Porém, foi em 1995, com sua mudança para o Japão, que tudo começou a ganhar forma. Pois, nem ele mesmo poderia imaginar o que estava por vir. Foi com sua técnica ímpar que ele foi logo fazendo barulho por lá. Seu ciclo, na terra do sol nascente, começou na cidade de Kanagawa na tradicional “Over Night”, onde foi residente por três anos. A cidade de Gunma foi a próxima parada na também “Over Night”m seguida depois por muitos outros clubs como a “Brazilian Grafitti” ( Nagoya ), “Contra-Mão”( Osaka ), “Muvuca”( Tokyo ), “Connection” ( Nagano ), “Brazil Paradise”( Nagano ) e “Catedral” ( Hamamatsu ).

Paralelo as suas performances como DJ, e sempre ligado a cultura brasilis, Tom era também um dos responsáveis pela apresentação de artistas brasileiros para aquelas bandas. Foi assim com “Ivan Lins”, “Claudinho e Buchecha”, “DJ Ricardo Guedes”, “Tiazinha”, entre tantos outros que agitaram a cena japonesa e que deram cada vez mais crédito ao DJ perante a mídia japonesa. Além disso, participou nas produções de alguns programas para o canal IPC TV, que é associada à TV Globo e que transmite a programação para a colônia brasileira.

Como um bom filho a casa retorna, Tom Hopkins, seduzido pelo sucesso que nossa cena tupiniquim está vivendo, e aproveitando seu status de Top DJ no Japão, retornou ao ao Brasil no final de 2000 para dar continuidade a boa fase. Sua vida no Japão, foi-lhe muito útil para acrescentar um ‘Algo mais’ em sua cultura musical já tomada pelo House. Mais isso não significa que ele ‘detone’ apenas estes estilos.

Suas performances também flertam com Dance, agindo como se fosse um verdadeiro camaleão. O que a pista quer, ele toca.

Influênciado por renomados DJs como Paul Oakenfold, Sash, Tony Humphries entre outros, Tom lança ( e assina a co-produção ), denominada TOP TEN DJS via Paradoxx Music, ao lado de grandes DJs brasileiros, como Tchorta(Sect) e Zé Pedro, Ronaldinho, Ronaldo Gasparian, Rogerinho e Kezinho . Sua faixa é “Clap Your Hands” no rítmo techno para bombar sua pista.

DJ Tom Hopkins também fez parte da equipe da Revista Dj Sound, mixou mais de 1 ano o programa Metro Mix pela rádio Metropolitana FM-SP e atualmente faz seu “Set”na rádio Energia 97 dentro do programa Comando 97 aos sextas, além de participar em eventos importantes da rádio como o Club Tronic Live que em sua última edição reuniu mais de 50.000 pessoas e viaja por todo Brasil detonando em seus “Sets” recheado de hit. Tom também atua no departamento de marketing e divulgação, atendendo os djs de todo Brasil na maior gravadora de Dance Music a Building Records. Participou das 4 edições do maior evento de dance music da américa latina – O Planet Pop Festival reunindo mais de 45.000 pessoas em suas 4 edições na Via Funchal em São Paulo.

Atuando como produtor, DJ Tom Hopkins, produziu a nova versão para Livin´On A Prayer do Bon Jovi, sendo assim Tom assina sua produção de 2004 como Dalimas – Livin´On A Prayer ( Tom Hopkins Remix )… Enjoy!!! Vale lembrar que o single “Sweet Child O´Mine” também foi produzido por DJ Tom Hopkins & Rowbeat.

Atualmente Tom Hopkins lidera o seu mais novo projeto em parceria com os produtores Gino Martini ( GM ), Double You e Cassioplay – para a música Can´t Get You ( out of my life ) interpretada por Giovana Félix.
O Single chega ao mercado fonográfico com 7 versões e já é sucesso nas principais pistas de todo Brasil. Acaba de ser lançado o 2o single deste maravilhoso projeto “Everybody´s Grooving” … 100% dance music.
Tom Hopkins também foi indicado como melhor dj na categoria dance pela revista DJ Sound, além de estar as quartas-feiras no programa Superpop c/ Luciana Gimenez pela Redetv.

Tudo isso serve para mostrar que nossa cena não acaba de ganhar apenas mais um nome. Mas um personagem que pode mudar ainda muita coisa. E, quem sabe, consagrar definitivamente, o Brasil como grande ‘fabricante’ de DJs


Download do Presskit

SoundCloud_logoYouTube-logo-full_colormixcloud

Desenvolvido e Hospedado por Paradigma Design Studio